Home > Metais alcalinos-terrosos > Rádio          

Rádio

Para acessar o desenho artístico do elemento rádio, clique aqui.

88
(226)

700
5,0
2

Ra
Rádio

Mineral carnotita, fonte de rádio.

Mineral carnotita, fonte de rádio.

A prolongada exposição à radioatividade provocou a morte, por anemia perniciosa, de Marie Curie, uma das descobridoras do rádio.

O rádio, de símbolo Ra, é um elemento químico conhecido por suas intensas propriedades radioativas, que faz parte do grupo dos elementos alcalino-terrosos (IIa) da tabela periódica. É um metal brilhante e branco, quando recentemente preparado. Se exposto ao ar, enegrece. Como todos os isótopos do rádio são radioativos e de meia-vida curta em relação ao tempo geológico, todo vestígio de rádio desapareceu a muito tempo. Assim, o elemento só ocorre naturalmente como produto de desintegração nas três séries de desintegração radioativa: do tório, do urânio e do actínio.

A descoberta do rádio em 1898 se deve às pesquisas realizadas sobre o fenômeno da radioatividade por Pierre e Marie Curie, que o detectaram na pechblenda (minério de urânio). O rádio metálico só foi isolado em 1910, quando Marie Curie e André-Louis Debierne conseguiram sintetizar a substância por eletrólise (passagem de corrente elétrica), a partir de uma solução de cloreto de rádio (RaCl2).

Modernamente, o rádio é extraído de vários minerais como a carnotita, o vanadato de urânio e de potássio hidratado, além da pechblenda. Após a aplicação de diversos tratamentos químicos, obtêm-se pequenas quantidades de metal, que é utilizado na ionização de gases como o oxigênio para elaborar ozônio. Era empregado na produção de materiais fluorescentes para painéis e mostradores de relógios, até que se descobriu que a exposição ao elemento provocava sérios danos à saúde. Em sua presença, é preciso utilizar materiais protetores que bloqueiam a passagem da radiação.

O sulfato de rádio (RaSO4) já foi muito usado no tratamento de câncer, graças a sua radiação gama que, enfeixada sobre o tecido maligno, o destrói. Em muitas aplicações terapêuticas, no entanto, o radio foi substituído por isótopos artificiais do cobalto 60 e césio 137, mais eficazes e menos dispendiosos.

 

 

 

 

   Desenhos Artísticos | Versões | Versão para Impressão | Vídeos | Família dos Elementos | História | Links | Contato 

  © 2011 Tabela Periódica Online | Termos de Uso | Mapa do Site                         

 

Objetivos do site Tabela Periódica Online:

O site Tabela Periódica Online é um site educacional, cujo objetivo é promover a difusão de conhecimentos acerca da química, especificamente sobre a tabela periódica e seus elementos, auxiliando alunos de ensino médio e superior em seus estudos. Este site também visa auxiliar professores no processo de educação de seus alunos, atuando como objeto facilitador, como ferramenta na preparação de suas aulas, exposição de conteúdos de uma forma interativa e atrativa ao aluno, utilizando tecnologias modernas de ensino, que englobam ferramentas como computador, multimídia, internet, informática, estudos online, educação à distância.

Público alvo deste site:

Estudantes do ensino / educação superior (faculdade, universidade), do ensino médio (colégio, escola pública ou particular), alunos que estão se preparando para o vestibular (cursinho, curso pré-vestibular, terceirão), alunos de curso de capacitação, curso preparatório para concurso público e vestibular, cursos online, educação à distância, cursos de preparação para o mercado de trabalho, treinamento empresarial, empregos e melhoria de currículo. Professores de ensino médio e educação superior, interessados em atualizar suas aulas com métodos modernos e atuais de educação, utilizando internet, laboratório de informática, computador e multimídia.

Ao utilizar este site em seus estudos, você deverá ser capaz de:

Localizar o elemento químico dentro da tabela periódica, citando seu nome, símbolo, sua família, grupo, número atômico e massa atômica. Identificar as principais características e funções do elemento em questão, como cor, densidade, abundância na natureza, localização no meio ambiente e aplicações. Deverá também conhecer dados históricos do elemento estudado, como o nome do cientista que o descobriu, data e local.

Envie sua colaboração: sugestões ou correções de conteúdo:  

Caso você queira dar sugestões de conteúdos relacionados com as informações acima, enviar correções ou atualizações pertinentes ao tema do site, entre em contato e envie-nos um e-mail com sua colaboração. Para isso, clique aqui.